sábado, 2 de outubro de 2010

Comércio Eletrônico e Varejo Tradicional



Essa semana ouvi muito falar sobre: "Antigamente tínhamos a impressão de que os centros de compras eram totalmente seguros, mas depois dos últimos acontecimentos percebemos que é preciso um reforço maior nestes locais, pois os bandidos estão cada vez mais..."

nós não estamos seguros nas lojas de rua, não estamos seguros em lojas de shopping, e não estamos seguros no comércio eletrônico?



Gente o que está acontecendo na nossa sociedade??? 

sobre o comércio eletrônico... eu venho estudando isso a mais de 10 anos, e vejo que muita coisa não acontece devido a falta de segurança, número de fraudes que ocorrem nas vendas online.
Escrevi meu TCC sobre como ser um canal de vendas para novos criadores e tudo que envolve isso, e a internet é o local mais democrático para os novos criadores (estilistas, artistas, artesão, musicos,...)
mas não deslancha porque existe muita insegurança.

e a melhor dica que tenho a dar sobre isso é: PESQUISE na própria internet a reputação do site que você quer comprar, se achar muitas reclamações, sem respostas... fique desconfiado. Pode haver reclamações porque erros acontecem, isso é humano, mas o problema é quando essas reclamações ficam sem resposta, sem solução.
observo que o usuário da internet sempre retifica a empresa após haver sido atendido e volta a confiar na empresa e voltaria a comprar com a mesma, pesquisas indicam isso.

E se a dúvida persistir telefone para a empresa, verifique se ela existe, se pessoas falam coisas que lhe dêem mais segurança. Eu acredito que nada substitui o contato pessoal.

Sempre tomamos cuidado em atender nossas clientes online da mesma forma que atendemos as nossas cliente do atelier. Com respeito, atenção, procurando dar sugestões que lhes sirvam, oferecer produtos acessíveis para serem usados a cada estação, produtos de bom gosto, com arte, com design...
mas o relacionamento mesmo é o mais importante.

eu já comprei de tudo na internet, desde uma presilha de cabelo até armários para minha casa.
e não digo que não me incomodei, mas o mais interessante é que sempre o incomodo maior vem com as empresas maiores, as poderosas do comércio eletrônico, são as que menos nos dão atenção, que mais demoram em meio a tantos procedimentos, e as mais inacessíveis na hora da solução.
meu armário por exemplo veio com a maçaneta quebrada e nunca consegui a troca dela com a loja do Magazine Luíza, ainda que eles tenham me prometido enviar uma outra pelo correio.
por outro lado a internet foi o único canal de reclamação que resolveu um problema meu de celular, e isso contando que eu já estava a 01 ano tentando com o 0800.

E falando em 0800 eu tenho um super medoooooooooooooooooooooooo :/ de ter que falar com qualquer um deles, tenho verdadeiro pavor.

...e essa semana eu e meu marido deixamos de comprar um computador dell, pela internet, que estava com preço incrível e bem do jeito que queríamos, mas vi tanta reclamação de entrega do produto que desisti e resolvi procurar em uma loja real. mas não consegui até agora ir em nenhuma delas por falta de tempo.
Se fosse pela internet seria super simples, mas fiquei com medo de não receber ou receber outra coisa.

por isso eu entendo quando as clientes se sentem assim. Mas na hhbrasil não precisam se preocupar com isso, se não houver entrega por qualquer motivo, nós devolvemos o dinheiro.
e nossas clientes que compram roupas podem devolver, sem necessidade de trocar (isso só não vale para brechó)

Espero que os programadores desenvolvam cada mais mais ambientes seguros para comprar na internet, porque eu acho incrível poder ficar olhando vitrines de brechós por exemplo, no conforto do meu lar.
Ou tomar uma xícara enorme de café (que eu adoro!) enquanto vejo novas criações, novas idéias,..., pessoas criativas tem nesse espaço virtual um enorme campo de divulgação e pesquisa, jamais imaginado antes.
E a oportunidade de venda é infinita e democrática, pois não fica tudo na mão de megas empresas.

veja que essa grandiosidade do capitalismo tem muitos débitos, megas industrias poluentes, megas lojas indiferentes, megas viadutos desabantes, megas predios sufocantes...megas ganâncias aterrorizantes, escravizantes...não precisamos nada disso.
por isso que reciclar é legal, produzir artesanalmente é legal, ter um ritmo de vida que harmoniza com o ser humano e não essa desenfreada corrida, como diz a Bíblia, estamos correndo atrás do vento.
pra que tanta pressa? pra que tanta violência? pra que tanta ganância, tanta fraude, tanto crime, tanta.....aff cansei.

vá a uma feira de rua, preferencialmente em lugar histórico, cultural e compre uma peça artesanal.
Coloque ela na sua casa, depois num dia "stressante" olha para ela.
vai se sentir melhor. ela tem energia, a energia do fazer.

Era sobre isso tudo que eu queria falar, e visitando cada link que eu coloquei você faz uma viagem por todas essas idéias.

beijos mil

Um comentário:

Ana Loureiro disse...

Oi queri! Obrigada pela visita lá no blog! Suas peças são mto legais tbm.

beijos

http://modacustom.blogspot.com